Imprensa
Volkswagen
28 de março de 2012

Tratamento de efluente industrial da fábrica de São Carlos é ampliado com novo sistema ainda mais eficiente e sustentável

Estação de Tratamento de Efluentes da unidade de Taubaté possui sistema de reciclagem que reduz o consumo de água tratada fornecida pela Sabesp

  • Press Release
  • Fotos
  • Capacidade de tratamento é o dobro da atual e chega a 5 m³/hora, em um espaço otimizado
  • Novo sistema possibilitou a redução de 40% nos custos operacionais do processo de tratamento de efluente industrial
  • Em 2011, as estações de tratamento de efluentes das unidades da Volkswagen do Brasil trataram por mês volume equivalente a de uma cidade como Sorocaba, com 500 mil habitantes

No ano em que celebra 15 anos da conquista da certificação ambiental ISO 14001, a unidade da Volkswagen do Brasil em São Carlos alcança mais um avanço na área de gestão ambiental com a instalação de uma nova estação de tratamento de efluente industrial, ainda mais eficiente e sustentável. A mudança no sistema de tratamento é pioneira na Volkswagen do Brasil e consolida o status de referência ambiental que a unidade de São Carlos possui entre o grupo e as empresas da região.

Com investimento de R$ 500 mil, a nova instalação está localizada em um espaço de 100 m², com capacidade de recebimento de efluente industrial bruto de 30 m³ e capacidade de tratamento de 5m³/hora. A nova estação de tratamento é 50% menor do que a atual instalação e tem o dobro da capacidade de tratamento, devido a uma nova tecnologia empregada.

"As questões ambientais estão inseridas no negócio da empresa e a ampliação da ETE é mais um exemplo disso. Agregamos melhorias significativas ao processo de tratamento, com ganhos em capacidade de tratamento, facilidades operacionais e redução nos riscos com manuseios de produtos químicos. Alinhado a estes avanços, também obtivemos a redução de 40% nos custos operacionais, atingindo ganhos ambientais e redução nos custos financeiros. Esse é um exemplo de que o cuidado com o meio ambiente também deve ser tratado como oportunidade no negócio e não simplesmente custos", disse Márcio Lima, supervisor de Engenharia de Manufatura – Planejamento Ambiental da Volkswagen do Brasil.

A fábrica conta desde o início das atividades com um sistema que trata o total de efluentes gerados entre o industrial, oriundo do processo produtivo e o doméstico, dos restaurantes e banheiros. Após passar por várias etapas de tratamento, o efluente tratado é enviado ao coletor público do município. Por mês são tratados 3.000 m³ de efluentes, sendo 1.000 m³ de efluente industrial.

Sistemas de Tratamento

A novidade está na mudança da tecnologia utilizada no processo. No sistema usual os resíduos são separados da água com o auxílio de produtos específicos e colocados na parte de baixo do tanque (decantação), o que demandava maior tempo de processamento.

Com o novo sistema, o processo é feito por flotação, no qual os resíduos permanecem na parte superior do tanque, ao invés de serem enviados ao fundo, necessitando de menor quantidade de produtos específicos. A nova tecnologia conta também com um sistema de microbolhas de ar comprimido, o que acarreta na diminuição do tempo de separação dos poluentes e sem precisar da mesma quantidade de adição de produtos para que o material se solidifique e possa ser retirado com maior facilidade do tanque.

O óleo separado no tratamento do efluente industrial passa por um processo em que é desidratado e reaproveitado por uma empresa cimenteira para a produção de energia. Por mês são gerados, em média, oito mil quilos do produto que são enviados à empresa.

"Todo o efluente gerado na unidade é tratado. Para os efluentes domésticos é utilizado um sistema que conta com a ação de microorganismos que degradam a matéria orgânica e neutralizam a carga poluidora na água. O lodo biológico separado neste processo é desidratado e destinado para o aterro sanitário da cidade", explica Washington Levez, responsável pelo sistema de gestão ambiental da unidade de São Carlos.

Ações Ambientais em São Carlos

Entre outras iniciativas ambientais realizadas pela unidade se destaca a Central de Compostagem, que rendeu à fábrica de São Carlos o 1º prêmio AutoData em Responsabilidade Ambiental no ano de 2007, ainda em fase piloto. Em 2009, a Central começou a funcionar efetivamente.

Na Central, que possui a capacidade de realizar a compostagem de 10 toneladas/ano, são tratados parte dos resíduos orgânicos gerados no restaurante da fábrica, com a finalidade de transformá-lo em adubo, utilizado na área verde da própria unidade.

Além desse trabalho, há projetos realizados em parceria com o Parque Ecológico "Dr. Antonio Teixeira Vianna", em São Carlos, como o investimento de R$ 145 mil nas reformas dos recintos de espécies como o condor andino, urso de óculos e lobo guará, além do aviário para aves regionais e o bioma cerrado.

Unidades contam com sistemas eficientes

Iniciativas relacionadas ao uso eficiente e tratamento de efluentes também estão presentes nas demais unidades da Volkswagen no Brasil.

Na unidade Anchieta, em São Bernardo do Campo (SP), há um plano de contingência que consiste na redução no consumo de água, gases e energia elétrica, após o término das atividades produtivas. Durante esse período o abastecimento desses recursos se limita às atividades essenciais.

Em São José dos Pinhais o sistema de monitoramento ambiental controla a qualidade de águas superficiais e subterrâneas e também dos efluentes gerados na Estação de Tratamento. Periodicamente os resultados são analisados com objetivo de garantir a qualidade e eficiência do sistema no âmbito da unidade e de seu entorno. A fábrica conta ainda com ações de controle da qualidade de efluentes focadas em ajustes de processo, além de ações do comitê interno de conservação de energias.

A Estação de Tratamento de Efluentes da unidade de Taubaté possui há nove anos um sistema de reciclagem que reduz o consumo de água tratada fornecida pela Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo). Em 2011, foram reaproveitados 32,5% da água consumida no processo produtivo.

A água utilizada em várias etapas do processo industrial é bombeada para a Estação de tratamento de Efluentes, onde passa por um sofisticado processo de purificação, que inclui uma ultrafiltração, que a torna própria para o consumo. A água reciclada é utilizada em processos produtivos e domésticos da unidade, como no sistema de resfriamento de equipamentos, descarga de sanitários, alimentação de caldeira, entre outros. Por meio dessas ações, estima-se que a unidade deixou de utilizar, desde 2003, 2,7 bilhões de litros de água da rede pública – quantidade suficiente para abastecer por dois meses uma cidade do porte Taubaté, com 278 mil habitantes.

Em 2011, as estações de tratamento de efluentes das unidades da Volkswagen do Brasil trataram por mês uma média de 181.839 m³ de efluentes. Esse volume é equivalente ao tratamento de esgoto por um mês de uma cidade do porte de Sorocaba, com 500 mil habitantes.


Youtube Blog Volkswagen Volkswagen Brasil Facebook © Volkswagen do Brasil 2019 | Ibama | Fale Conosco | Política da Privacidade